Senda Sebastião

08/01/2017 – Eu acabara de retornar de uma projeção e emendei outra em seguida. Estava num leve E.V. e senti um estufamento que liberou meu psicossoma como se fosse uma bolha de sabão. Tudo estava escuro e eu podia sentir o deslocamento do meu corpo astral percorrendo alguma distância, quando então me surgiram as imagens. Eu estava dentro de um prédio extrafísico que parecia algum local de recreação. A princípio, pensei se tratar de um a espécie de shopping porém não o é pois não existiam lojas. Haviam muitas pessoas transitando neste local. Era um lugar amplo e bonito. Ao transitar vi alguns aparelhos de TV na parede e passava um desenho animado de personagens que desconheço. Mais à frente, vi por dentro de um corredor uma grande tela de cinema. Entrei então naquele salão e realmente se confirmou um cinema com poltronas vermelhas, grandes e confortáveis. Me sentei em uma poltrona e comecei a assistir ao filme que parecia estilo americano da década de 60, se não me engano, em preto e branco e em português. Havia um homem de uns 2 metros de altura sentado na poltrona à minha frente, com o braço escorado na poltrona do lado apoiava a sua cabeça e me atrapalhava de ver o filme. Incomodado, me levantei e saí da sala. Então percebi do lado de fora uma vidraça que dava visão para o lado externo da construção. Parecia que estava anoitecendo. Pude ver montanhas com árvores e reflexos do Sol alaranjado que acabava de se pôr, clareando entre as nuvens. Aquela vidraça ficava perto da porta de entrada daquele “prédio” quando então entrou no recinto uma mulher, loira, linda, com uma saia curtíssima, acompanhada de perto por um homem. Fiquei olhando aquela mulher entrar no recinto, toda poderosa, e ao meu lado haviam outros homens que também estavam de olho. Então, percebi ali próximo, um restaurante com uma fila para servir. Entrei na fila e verifiquei que não era um self service mas uma espécie de “bandejão” onde a pessoa passava com seu prato e o garçom do outro lado da mesa servia. Vi um prato servido, abandonado num canto. Peguei este prato e fui terminar de servi-lo. Não dei atenção ao que estava servido mas se puder comparar com algo “terreno” parecia arroz e vinagrete, rsrsrs. Não sei o que havia para servir ainda naquele restaurante. À minha frente na fila havia um casal de jovens namorados que serviam juntos. Quando chegou na minha vez de ser servido, puxei conversa com a garçonete, uma senhora já aparentando uns 50 anos. Disse que ela parecia com minha mãe e perguntei em seguida: “E minha mãe, será que já reencarnou?” Ela pensou um pouco e disse que não. Depois disse que estava previsto minha mãe ir naquele lugar para se encontrar comigo mas não deu. Neste momento percebi a sua intenção de dizer algo que servisse de consolo. Perguntei a ela: “Qual o nome deste lugar?” Ela disse: Senda Sebastião…” Perguntei: “Senda???” Ela disse: “Sim, Senda Sebastião…” Eu repeti novamente: “Senda Sebastião…??” Neste momento o casal que estava na minha frente também respondeu junto com ela o nome do lugar. Eu disse sorrindo: “Estou repetindo porque daqui a pouco eu volto e acabo me esquecendo”. Perguntei em qual Estado aquele lugar ficava e ela me disse: “Rio de Janeiro”. Quando eu perguntei se ela sabia que eu estava projetado fora do corpo não deu tempo de ouvir a resposta, já estava desperto no corpo físico. Fiquei decepcionado pela volta precoce mas extremamente feliz pela experiência. Eu podia sentir a presença dos amparadores que me ajudaram dentro de meu quarto e agradeci imensamente a eles.

No retorno ao corpo já não me lembrava do nome completo do lugar. O Sebastião possuía sobrenome.

Nota: Senda é sinônimo de caminho, trilha, atalho,via, etc. Fui buscar na internet maiores informações sobre uma senda. De acordo com o site https://pt.wikipedia.org/wiki/Senda, consultado em 08/01/2017, senda, no sentido esotérico, é um caminho intermediário ou etapa intermediária onde o indivíduo passa por purificações afim de se atingir ou que se possa ser permitido a sua entrada para um nível mais elevado, ou seja, o indivíduo passa por uma desintoxicação dos desejos mundanos. Enquanto estive na Senda pude perceber claramente que aquele lugar se encontrava em um nível bem próximo da crosta terrestre, que pode ser caracterizado pela luminosidade externa, as pessoas muito ligadas às coisas terrenas, como nos afazeres, alimentação, etc. Aquela Senda estava numa região umbralina que recebia temporariamente pessoas recém desencarnadas que precisavam “desintoxicar” de referências terrenas a fim de ter acesso a planos mais elevados e seguir em frente.

Um comentário em “Senda Sebastião

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: