Viagem fora da Terra

28/03/2015 – Após sair do corpo pensei, “vou viajar pelo espaço”. Me concentrei nisto e de repente me vejo saindo da atmosfera terrestre ( Fique à vontade para acreditar ou não). Olhei para baixo e vi nosso lindo planeta azul. Eu não estava coordenando minha viagem, apenas deixava ser conduzido e seguia em uma velocidade tão grande que dei duas voltas completas na Terra em questão de 1 segundo. Vi a Terra em suas duas esferas, a que estava iluminada pelo Sol e a do outro lado, que era noite. Fiquei impressionado com aquela visão. De repente, me assusto com uma grande bola branca que eu acabava de passar ao lado. Era a Lua. Segui viajando pelo espaço em velocidade tão grande que de repente nosso planeta foi se distanciando e sumiu. Vi então outro planeta, Marte, logo a frente outro planeta imenso que só podia ser Júpiter e logo em seguida Saturno, que reconheci devido seus anéis. Em determinado momento desta viagem passei pelo que pensei no momento ser uma chuva de meteoros ( uma série de blocos de rochas voando em alta velocidade pelo espaço). Eu ia me aproximando daquelas rochas e fiquei apertado, com medo de me esborrachar nelas, quando, de repente, atravessei. Quando avistei Saturno, a ficha caiu de que eu estava indo longe demais e pensei em voltar para a Terra. Neste momento comecei a voltar e refiz todo o trajeto de volta, passando pelos mesmos locais e tendo as mesmas visões chegando então à atmosfera terrestre. Pairando sobre o planeta, contemplei aquela vista maravilhosa, que tanto sonhei quando era uma criança que desejava crescer para ser astronauta.

Nota: A maior dificuldade é a incapacidade da mente condicionada ao mundo físico aceitar a existência da possibilidade de desbravarmos o espaço em corpo astral e assim que quisermos, retornarmos para casa, num piscar de olhos. As ciências estão longe de aceitar tal possibilidade pois não encontram provas confirmatórias através de seus instrumentos de pesquisa e mensuração.  O que nos desperta a atenção numa experiência como esta é que o corpo astral parece ser dotado de tal condição que o permite transitar pelo espaço à velocidade do pensamento, atingindo velocidades infinitas, muitas vezes deslocando imensas distâncias praticamente de forma instantânea, como se fosse um tele-transporte, o que nos possibilita chegar a qualquer lugar do Universo que nos for permitido sem nenhuma dificuldade. É a capacidade da nossa consciência livre.

Sobre a chuva de asteróides que relatei, em conversa com um amigo, ele me disse que realmente existe um cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter e, posteriormente, pude comprovar esta informação na internet. Pude ver uma camada muito densa de asteróides no meu trajeto, no momento pensei que se tratava de uma chuva de asteróides. É muito bom poder comprovar, na vida física, certas coisas que nos acontecem quando projetados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: