Amparadores Extrafísicos

Quem seriam os Amparadores extrafísicos? Quais seriam as funções deles? Porque estão ali, nos acompanhando? Porque eles precisam de nossas energias nos trabalhos de assistência espiritual?

Chamamos de Amparadores, aquelas entidades já desencarnadas que tem a missão de conduzir seus amparados, no caso, nós encarnados, ao cumprimento dos objetivos de causa maior, objetivos que muitas vezes foram assumidos no período entre vidas e trabalham visando a coletividade. Desta forma, muito se confunde Amparadores com outros auxiliares invisíveis, cujos nomes variam de acordo com a linha ou crença, por exemplo: Anjo da Guarda, Mentor Espiritual, Guia Espiritual, etc. A diferença entre Amparadores e Anjos da Guarda não é importante, pois todos são auxiliares invisíveis e o que difere uns dos outros são o nível evolutivo de cada um deles. O termo “Amparador” foi criado pelo pesquisador Waldo Vieira afim de se fazer uma distinção destes para os demais auxiliares invisíveis. O Amparador é aquele que tem a função de guiar alguém que trabalha para o bem de toda uma sociedade, por exemplo, enquanto o Anjo da Guarda, o Mentor, o Guia, são entidades que atuam no âmbito individual, nos ajudando a cumprir nossos carmas e conquistar novos progressos. Os Anjos da Guarda podem ser um parente nosso que está ali, nos ajudando, ou alguma outra entidade com o nível evolutivo igual ou um pouco melhor do que o nosso. Ainda precisa reencarnar e está em um estado temporário de auxilio. A grosso modo, podemos dizer que os Anjos da Guarda, os Mentores e Guias estão no nível “Júnior” de auxilio extrafísico, enquanto os Amparadores já são as consciências que estão no nível “Senior” de auxilio. Ainda assim, até mesmo entre os Amparadores também existem níveis, hierarquia, se podemos assim dizer. Existem Amparadores categoria “Júnior” à categoria “Sênior”.

Durante nossas vidas podemos ter muitos Anjos da Guarda como também podemos passar a maioria de nosso tempo de vida terrena sem a companhia de nenhum, devido ao nosso nível vibracional que afasta as boas companhias e atrai as ruins, os obsessores. Muitas pessoas tem como auxiliar invisível a figura de um obsessor que faz o mesmo trabalho que um Anjo da Guarda faria, porém, no sentido inverso, conduzindo o seu amparado para o mal. Isto não significa que o Anjo da Guarda o abandonou, significa que o nível vibracional dos dois são tão incompatíveis que inviabiliza a ação. Neste caso ele continua acompanhando a pessoa, esperando o seu despertar para uma nova realidade, uma necessidade de mudança, o que vai afetar o seu nível vibracional, abrindo portas para a reaproximação.

De forma geral, os Amparadores são entidades em um patamar de evolução bem superior à nossa, muitos já se encontram fora da Roda de Samsara, mas como precisam continuar sua jornada evolutiva, se prestam em tarefas assistenciais, visando o bem de toda uma coletividade. Todos nós temos Amparadores? Não, a não ser que estejamos engajados em alguma causa que vá além do âmbito individual, por exemplo, um líder comunitário, alguém que presta auxílio à instituições, um cientista que trabalha em função da descoberta de alguma cura, um vereador, o presidente da república, etc, desde que as funções sejam exercidas de acordo com a ética, com as boas práticas, o pensamento bom e desinteressado, em prol do bem coletivo. Todos possuímos um Anjo da Guarda? Sim, nos moldes que vimos acima.

O amparo espiritual acontece em diversos níveis, diversos segmentos ou especialidades, se pudermos assim dizer, mas vamos citar alguns. Segundo Moisés Esagui, todo mundo tem o Amparador que merece, diretamente ligado ao nível evolutivo do amparado, ou seja, um Hitler não terá o Amparador do mesmo nível de um Francisco de Assis. Aliás, Hitler não tinha nem Amparador mas sim, Obsessor. O “calibre” do Amparador é compatível com o “calibre” do amparado. A pessoa que desempenha uma função para o bem de uma determinada comunidade receberá o amparo de uma entidade compatível com o tamanho do empreendimento, da mesma forma que outra pessoa, como por exemplo, Chico Xavier, que desempenhou função de âmbito nacional ou mundial, recebeu amparo de uma entidade preparada para tal. Assim, um Amparador de alto nível não acompanhará uma pessoa que esteja iniciando nas práticas espiritualistas, pois seria como empregar um Albert Einstein a ensinar tabuada no ensino fundamental.

Aproveitando o exemplo de Chico Xavier, durante toda a sua vida física ele recebeu o auxilio de Emmanuel, o qual foi considerado seu Mentor, seu Guia, visto agir no âmbito individual de Chico, mas, ao longo de sua jornada, Chico recebeu o amparo de diversas entidades que o ajudaram a cumprir seus objetivos coletivos. Assim, entendemos que uma única pessoa pode receber o amparo de diversas entidades diferentes, assim como um único Amparador pode fornecer auxílio para diversas pessoas diferentes.

Os Amaradores podem trabalhar individualmente ou em equipes. Encontramos na vasta literatura espiritualista referências de equipes que trabalham no resgate de pessoas nos Umbrais, equipes que prestam auxilio no desencarne, equipes que dão assistência a centros espíritas, nas aplicações de passes, etc, então há uma grande variedade de assistências praticadas por estas entidades. Na literatura projetiva encontramos muitos relatos de Amparadores que se utilizam de energias dos projetores nas suas tarefas assistenciais. Isto ocorre porque as energias dos Amparadores são muito sutis,  devido ao fato de não possuírem um corpo físico mas sim, um corpo energético muito sutil e muitas das entidades que estão sendo assistidas estão numa vibração muito densa, o que anula a energia emanada pelo Amparador. Com a ajuda de um projetor, que por possuir um corpo físico tem as suas energias mais densas, compatíveis com as energias do espírito denso, o Amparador dá uma turbinada nas suas energias conseguindo prestar a assistência necessária. Também pelo fato de possuírem um corpo energético muito sutil, muitas vezes não percebemos a sua presença no ambiente, mesmo quando estamos projetados fora do corpo, nos fazendo pensar que estamos sós, mas isto nunca ocorre, pois eles sempre estão lá, nos auxiliando e nos conduzindo pelas veredas extrafísicas. Muitas vezes podemos conversar com eles, comprovando a sua permanente presença, mesmo sem poder vê-los.

Então se quisermos atrair para perto de nós os bons Amparadores, temos que trabalhar muito, a partir de uma reforma íntima, enfrentando a nossa própria verdade e encarando o nosso ego. Devemos começar a polir a pedra bruta que existe em nós e, mantendo objetivos sadios e universalistas, com determinação e constância, começaremos a atrair bons Amparadores que nos ajudarão em todos os processos de nossas vidas. Só depende de nosso esforço e comprometimento.

  • Consciência em Evolução – por Lindolfo Soares de Souza – em 27/07/2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: