Consciência e Espiritualidade

“O poder do conhecimento conecta a consciência com o mundo superior, libertando da falta de conhecimento, que provoca o aprisionamento e o agrilhoamento da humanidade.”(“JESUS E APOLO – A HISTÓRIA DOS ESSÊNIOS: A impressionante origem secreta do cristianismo” por ANTHONY MOUNTAIN)

Quando falamos de espiritualidade, tendemos a buscar como fonte as concepções advindas de nossa vida religiosa e consequentes crenças. A maioria absoluta da população mundial está ligada a uma religião e encontra nela a principal fonte de absorção de conhecimento espiritual e assim constatamos que, ao longo dos milênios, a humanidade vem buscando respostas para o melhor entendimento de si mesmo e de tudo.

Convém que eu esclareça que respeito as opções religiosas de cada um, respeito a liberdade e independência das convicções alheias e o direito de por elas pautarem a sua conduta, contudo é sabido que há muito não pertenço mais a nenhuma religião e vou dizer o motivo desta minha arrogância. Sendo direto afim de atingir o cerne da questão, considerando que desenvolvo um trabalho de informação, ciente da responsabilidade que me pesa em tudo que penso, digo e escrevo, meu propósito é o de, quem sabe, ajudar a esclarecer sua razão, afinal, a absorção do novo é lento e a sua integração nos costumes sociais mais lento ainda.

Tenho me dedicado com afinco à construção da minha espiritualidade de forma livre e independente. Busquei e continuo buscando em diversas filosofias, onde se incluem também as religiosas, o melhor entendimento das coisas. Penso que quando buscamos algo de cabeça aberta, livre das amarras das crenças, as opções e as possibilidades se multiplicam. Quando assumimos uma determinada religião estamos criando em torno de nós uma linha delimitadora, como se demarcássemos uma fronteira. Delimitamos nosso campo de entendimento àquilo que nossa religião prega e nos fechamos às outras, mesmo que demonstrem coisas evidentes, pelo menos é o que acontece com a absoluta maioria. Eis o motivo de tantas desavenças entre católicos, evangélicos, muçulmanos e etc. Eis o motivo de tantas guerras que assolam a humanidade desde o princípio dos tempos, por conta dos diferentes Deuses que cada um assume. Agindo desta forma, me comprazo em pensar que, apesar de seguir solitariamente nesta direção, sigo gozando da mais perfeita liberdade de todos os meus sentidos e da minha vontade, criando minhas concepções e tirando minhas conclusões de acordo com a minha capacidade de entendimento, baseado em estudo, observação e questionamento.

Sem nenhuma dúvida não é fácil se aventurar neste caminho, demanda tempo, paciência, comprometimento e muito esforço sendo que é muito mais fácil “terceirizar” este trabalho ao invés de auto imolar-se – eis o motivo das igrejas lotadas. Quando nos levantamos em busca do novo, logo supomos que não somos capazes de enfrentar os desafios ou o argumento de quem está no poder, nem mesmo de conservar o terreno conquistado e assim retrocedemos, desanimados diante a grandeza do desafio.

Espiritualizar-se é tarefa de libertação e para isso é preciso em primeiro lugar libertar nosso espírito – Estaríamos dispostos? Estaríamos dispostos a deixar cair a venda que nos impede de enxergar além? Espiritualizar-se é trabalho contínuo de estudo e prática individuais, ninguém atingirá este objetivo sem esforço, terceirizando o trabalho. Assumindo uma nova posição quebramos os elos que nos mantinham presos a antigos dogmas, pelo nosso próprio esforço, pelo nosso trabalho e este é o primeiro passo para o desenvolvimento de nossas faculdades intelectuais e psíquicas. A liberdade aqui pode ser entendida como a consciência virgem e pura, aberta para o descobrimento do mundo, como a de uma criança que começa a ser construída a cada dia e não tendo como referência nenhuma crença, (pois a verdade é que todas elas são passageiras e dependentes do lento progresso da razão humana), teremos acesso a outras verdades, antes não percebidas. As nossas crenças são transitórias! Basta considerar que todas elas estão sujeitas à ação do tempo – como elas serão vistas daqui a CEM ou MIL anos? Estamos mantendo o mesmo modo de pensar a dois mil anos, será que este modo permanecerá por mais CEM anos? Não, não irá!

A terceirização do entendimento faz com que fiquemos submetidos à interpretações distorcidas e inadequadas, muitas vezes levada para o lado que melhor convém, fazendo uso imprudente da “Palavra”. Vivemos no mundo dos que aprenderam a ler mas não aprenderam a compreender e com isso, em todos os tempos, os cristãos proclamam em nome de Jesus que entre a consciência e a verdade não há um ponto intermediário, ou seja, não se pode ter liberdade de consciência, só vale o que está escrito e mal compreendido. A educação recebida é muitas vezes fundada no terror, por isso as pessoas temem e não amam a Deus, que os assustam durante a vida e os ameaça com o castigo eterno se por um instante se atrevem a seguir seu livre arbítrio. Não podemos permanecer passivos e presos a um condicionamento admissível somente aos seres de espécies cujos instintos naturais e desenvolvimento mental não permitem uma evolução como a nossa.  O Túmulo aberto não é a interpretação sacerdotal da ressurreição do corpo de Cristo, é o símbolo da ressurreição do pensamento e do espírito, refita sobre isto.

Indo além, todas as revelações sobre as quais o homem fundou suas crenças sofreram inúmeras transformações. A bíblia cristã há muitos séculos deixou de ser uma fonte 100% confiável, pois foram inúmeras as adulterações sofridas. Afim de manter a hegemonia e combater a idolatria, em busca de levar adiante a figura de seu Deus, quantas vezes as religiões se utilizaram da violência e da força, destruindo até as lembranças das coisas e pessoas que produziam a sabedoria e liberdade, assassinando a inteligência humana. A ideia de um Deus único, clarividente e justo é a principal concepção de que o homem conseguiu chegar. Em torno dessa ideia não nasceram superstições e surgiram idolatrias? O fato de ter para si um Deus próprio não é uma idolatria? Esta mesma idolatria não conduziu muitos povos à superstição, à corrupção e a escravidão?

No início dos tempos a humanidade entregava o entendimento das coisas e a sua espiritualidade àqueles que podiam dar uma resposta que melhor confortasse e desta forma surgiram as diversas crenças. Era preciso dar uma explicação para as pessoas à respeito da origem da vida, do universo e de tudo e acredito verdadeiramente que este esclarecimento inicial aconteceu da forma que tinha que ser, devido ao nível consciencial das pessoas, mas o problema é que o mesmo padrão se mantém milhares de anos depois. Aprendemos que somos os únicos filhos do criador em toda imensidão do universo e as religiões lutam a cada dia afim de manter inabalada esta concepção, então, o que aconteceria com as religiões se por ventura um disco voador repleto de seres de outro planeta resolvesse pousar em pleno centro de Manhattan, ou de São Paulo, ou outra cidade importante? O que seriam das religiões se assumissem que não somos imagem e semelhança de Deus, mas sim, imagem e semelhança dos extraterrestres que nos criaram? O que aconteceria com as religiões se assumissem que suas crenças são oriundas de culturas antigas que os antepassados não conseguiram interpretar corretamente? E o que seriam das pessoas que a partir deste momento tomasse ciência desta nova realidade? Não sou adepto da ideia de que hoje em dia as pessoas ainda não estejam prontas para receber a verdade, isto é argumento de dominador. Claro que nem todos realmente estão preparados, mas acho que já passou da hora deste trabalho começar a ser feito, só depende de quem dá a informação. Vindo das pessoas certas, com certeza causará um reboliço consciencial nas pessoas, alguns mais fanáticos irão à loucura e outros vão escolher continuar pensando como antigamente, a novidade obviamente trará o caos, mas sempre depois do caos vem a calmaria, e, no geral, a nova concepção de existência logo se assenta.

Se queremos ser livres, não apenas no âmbito religioso mas em todos os níveis de nossa existência precisamos nos educar. Depois de educados, precisamos nos reunir, pensar e dialogar e não mais contar com a antiga visão das coisas, sem antes aprender a observá-la e a apreciar, sem interferências de fraudadores, pois quem está no poder se compraz quando as massas suportam uma vida irracional, habituando-se a viver com a dor, para os quais sofrer menos já é motivo de satisfação. Entre o Criador, a criação e a vossa razão não permitas que ninguém se interponha. Sejamos sinceros a nós mesmos e defendemos nossa liberdade.

Se digo que as doutrinas religiosas precisam ser revistas, digo baseado no que penso, de acordo com a minha experiência e liberdade de pensamento e não quer dizer que estou certo, que estou no caminho certo ou que você deve que aceitar minha opinião, mas penso que as religiões ocidentais onde predomina o Cristianismo estão completamente corrompidas e as religiões orientais, apesar de também terem seus defeitos, estão anos luz à frente em relação às do ocidente, em questão de filosofia e esclarecimento, acho também que existem vários caminhos, uns mais longos e outros mais curtos e temos nosso livre arbítrio para definir o que melhor nos atende.

E você que já busca um maior entendimento das coisas, livre das amarras conscienciais, sedento de saber, estuda as filosofias desde as mais antigas até as mais modernas, e procura vivenciar suas próprias experiências, certamente já se recolheu à sua inteligência, procurando as respostas pelos problemas da origem e do fim das coisas, angustiado pelo cruel castigo da dúvida, você então conhece o estado perturbador que nos faz temer a loucura, mas não se espante pois está no caminho certo. Para Madame Blavatsky, a verdadeira devoção pode dar-lhe o conhecimento. Auxiliando a natureza e trabalhando com ela, a natureza abrirá de par em par diante de ti as portas das suas câmaras secretas, desnudará ao teu ornar os tesouros ocultos nas profundezas do seu seio virgem, para os Rosa Cruzes o princípio científico que conduz à verdade é a observação direta da natureza, para Roger Bacon a observação exata cria a ciência, então, tenhamos a certeza de que a consciência faz sobre si mesma um trabalho de revelação lenta, porém segura e se procurarmos como o dinheiro, se desenterrarmos como um tesouro encontraremos o conhecimento.

  • Consciência em Evolução – por Lindolfo Soares de Souza – em 18/01/2018.

 

2 comentários em “Consciência e Espiritualidade

Adicione o seu

  1. Parabéns pelo post. Sempre muito lúcidas as suas colocações… concordo que ter disposição de buscar, manter a cabeça aberta e coragem p se assumir diferente, sem preconceitos ou a “comodidade” de simplesmente seguir a multidão faz muita diferença no aprendizado. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos e descobertas! 🙏🏻
    Abraço

    Curtido por 1 pessoa

  2. Parabéns e muita Gratidão por sua capacidade de colocar em palavras tudo que tenho vivido e tudo o que sente meu Ser. 🙌🏽✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨🙏🏽

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: