Deus Existe!?

Venho escrever este artigo em resposta a questionamentos que recebi em relação ao artigo original “Hipótese de Deus”, que causou certo estranhamento em alguns, a começar pelo título. Desta forma, este texto é um complemento daquele.

Quando digo que Deus é uma hipótese, digo com absoluta certeza (certeza para mim) de que Deus realmente é uma hipótese, a hipótese mais aceitável pela maioria. Tudo o que concluímos a seu respeito são meras especulações que, de qualquer forma, encontraram ressonância nos corações das pessoas, inclusive no meu, até determinado momento. Se Deus é uma hipótese, temos a liberdade de buscar outras definições a seu respeito, outras hipóteses, inclusive também a de considerar a sua não existência. Temos a liberdade de ser céticos, e isso não condenará ninguém ao inferno. Teria Ele a pretensão de que nós acreditássemos cegamente em algo que não conhecemos, vimos, sentimos, tocamos? Penso que não!

Deus é uma hipótese provável, mas que vem perdendo força à medida em que a evolução acontece; inclusive, a palavra evolução abre questionamento em relação à existência Dele. Acreditamos que existe um Deus ao nos compararmos com seres de espécies inferiores. Cremos que Deus existe ao olhar o universo e ver que somente algo perfeito poderia ter criado outra coisa perfeita. Mas de que maneira podemos considerar o universo uma criação perfeita? Sabemos que o universo ainda está se expandindo, sofrendo mutações; o universo ainda está em evolução, todo o tipo de alteração ocorre a todo o momento, planetas se chocam, estrelas nascem e morrem, e se fosse perfeito já teria sido criado no seu formato final, sem alterações. A evolução é um processo lento e contínuo. Tenho de concordar com a teoria Darwinista de que a evolução é um processo espontâneo que, dadas certas condições básicas favoráveis, tende a desenrolar-se por impulso natural. Pode ser que o universo, no seu inimaginável início, ou, no Big Bang, tenha encontrado o ambiente propício ao seu desenvolvimento natural e espontâneo, e claro que pode ter sido auxiliado por alguém – seria Deus? A evolução serve para todos, para o universo, para nós e para Deus não? Já não existiria mais progresso para Ele?

Penso que estas poucas e confusas palavras desvalorizam em muito o assunto, mas é o que a minha capacidade me permite atingir. Penso que há vários outros universos que coexistem em conjunto com o nosso e se pensarmos no infinito perderíamos a noção de vez. Pode até ser que nosso universo tenha sido criado por alguém, mas quem diria que esse alguém poderia ser considerado um Deus? Talvez seja alguém super evoluído, que seguiu a sua jornada evolutiva em outro universo, imensamente mais antigo do que o nosso e que adquiriu consciência tamanha que o permitiu contribuir de forma diferente para o progresso, mas mesmo assim ele ainda estaria em evolução e ainda poderia existir muitos mais evoluídos que ele. Eu sei, está viajante demais este assunto, mas ainda não terminou.

A nossa humanidade vem de forma salutar, caminhando rumo ao desenvolvimento maior, auxiliado pela evolução (e seres externos bem intencionados à nosso respeito). Somos ainda poucos grãos de areia na imensidão do universo. Temos uma pequena história que pode ser realmente contada a partir de 20.000 anos para cá e considerando que o universo tem trilhões de anos, sem nenhuma dúvida existem civilizações lá fora que contam com seus milhões de anos e que poderiam muito bem ter criado a nossa existência ao invés de Deus. Como disse antes, no outro texto, não formulo a hipótese de um Deus que governe a nossa realidade mas sim, sem nenhuma dúvida (para mim, mais uma vez), há seres mais evoluídos do que nós que estão neste trabalho, que nos geraram, e que auxiliam na medida do que lhes cabe a nossa evolução, o resto é desenvolvimento natural, é ambiente propício, é lei de causa e efeito.

Reforçando de que não quero impor nenhuma falsa realidade a ninguém. A verdade é algo que cada um constrói a partir de suas próprias experiências, ou pelo menos, deveria ser. Sei que quem frequenta este site são pessoas que buscam este tipo de conteúdo, que é totalmente fora do convencional, e o objetivo, como sempre, é o de abrir a mente ao pensamento, estimular a buscar lá dentro. Somos uma imensa fonte de percepções que não sabemos explorar. Estamos acomodados no nosso mundo do dia-a-dia e não somos estimulados a pensar, refletir, explorar, mas sim, estimulados pela sociedade, mídia, governos, religiões a continuar seguindo uma jornada de repetições em todos os níveis de nossa experiência. Aderimos a Deus, “pois é lógico que existe pois Jesus se referia a Ele!” (se este argumento te basta, eu respeito), mas de qualquer forma, costumamos viver de repetições impensadas, aderindo ao “lógico” em contraposição ao esforço do pensar. Pode ser que em nossas análises mais profundas reforcemos a opinião que sempre tivemos à respeito de Deus, mas pode ser que não, que algo mude. Se algo é perfeito, se o universo é perfeito ou o fato de tudo o que existe estar em perfeito equilíbrio não serve para justificar a existência de Deus, a natureza, em seu processo natural, também se encarregaria disto. Da mesma forma também, não serve para dizer que Ele não exista. Saiba que não estou pregando a não existência de Deus, estou pregando a predominância do pensamento sobre todas as coisas, inclusive sobre o que consideramos inquestionável, e é claro que fazemos o que bem quisermos com nossos pensamentos e interesses, pensar sobre isso não é obrigação de ninguém, aderir ao que existe é direito de todos, mas, Deus não pode ser o sistema que precisa ser constantemente demonstrado afim de explicar tudo, sendo a alternativa para assim simplificar uma aguda confusão de ideias, um sentimento de caos e predizibilidade. É preciso que deixemos de lado as conveniências irrefletidas que carregamos dentro de nós. Quem adere ao “lógico” abre mão do pensar, do sentir, do vivenciar, opta pelo caminho mais fácil e superficial, abraça o comodismo, deixa de existir, esquece-se do cogito cartesiano – “Penso logo existo”. Duvide, questione, quem questiona pensa e quem pensa, existe.

Enquanto Deus continua sendo uma hipótese até então impossível de se confirmar ou de  desmentir, vamos divagar e viajar, mas o que importa certamente é duvidar, questionar e pensar. Quem sabe você venha a ficar como eu – Louco?!?! – Não! ( pois graças à filosofia de Descartes, o sujeito que duvida, a loucura jamais o atingirá, ou como diz Foucault “o perigo da loucura desaparece no próprio exercício da razão”), mas sim, como dizia Raul, (ser uma metamorfose ambulante ao invés de ter aquela velha opinião formada sobre tudo) – toca Raul!!!

  • Consciência em Evolução – Por Lindolfo Soares – 28/08/2018.

2 comentários em “Deus Existe!?

Adicione o seu

  1. Muito boa esta discussão, Lindolfo.
    Admiro a sua forma de expor esse assunto polêmico de forma tão aberta. Confesso, como já afirmei antes, que não consigo acompanhar o seu raciocínio, certamente em razão de meu pouco conhecimento sobre o assunto. De qualquer forma, sinto-me à vontade para expressar a minha opinião.
    Não reflito sobre Deus como sendo “alguém”, pois penso ser muito limitada a visão antropomórfica de Deus. De outro lado, apesar de crer em sua existência, defini-Lo é algo superior à minha inteligência, dado o estado evolutivo em que me encontro. Desta forma, O entendo como energia criadora e inteligente que a tudo permeia.
    Como você, acredito na hipótese de existência de muitos outros mundos e seres extremamente mais evoluídos que nós, terráqueos, mas não conheço nenhuma evidência de que o universo que habitamos tenha sido criado por tais seres… se vc puder disponibilizar algum material neste sentido, eu tenho interesse em aprofundar.
    Parabenizo você pela coragem de expor tão delicado assunto de forma aberta e respeitosa, favorecendo uma reflexão madura para todos que se dispõem a abrir a mente para outras formas de pensar, oportunizando até mesmo uma mudança de paradigmas.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Iris, realmente não é a intenção defini-lo, julga-lo, desmentir, também não tenho capacidade para tanto, é algo inatingível para nós… a intenção é ativar o pensamento. Tudo o que foi escrito são hipóteses de alguém que se está disposto a pensar e questionar. Não sugiro acatarem meus devaneios, mas sim, pensar algo diferente. Um grande abraço!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: